Blog

gestão de estoque

Gestão de estoque: como evitar erros no uso do sistema ERP

A operação de pequenas e médias empresas de distribuição e logística está a todo vapor e a estruturação de processos e tecnologias para a gestão de estoque ganham destaque para o bom funcionamento dos negócios desse setor.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Operadores Logísticos (ABOL) e da Fundação Dom Cabral, houve um crescimento de 23,8% no faturamento de empresas que trabalham com operação logística em 2020.

Para atender à ampliação da demanda, entretanto, as PMEs do segmento precisam melhorar as práticas de gestão de estoque, reduzindo os erros relacionados à adoção e ao uso do sistema integrado de gestão empresarial (ERP).

Saiba também: Como solucionar os principais problemas de gestão de estoque em PMEs

6 erros para evitar na gestão de estoque com sistema ERP

O sistema ERP é um importante aliado para o gerenciamento de estoque, pois oferece diversos recursos para otimizar o controle. Por exemplo: integração de informações, giro e movimentação de estoque, gestão de entrada e saída de produtos, curva ABC, controle por código de barras e gestão de fornecedores.

Apesar das ferramentas que viabilizam essa organização e monitoramento, existem erros relacionados à utilização do sistema ERP que comprometem a eficiência da gestão de estoque. Conheça a seguir!

Leia mais: Tudo o que você precisa saber sobre curva ABC e como utilizá-la na gestão de estoque

1. Negligenciar a fase de planejamento

A etapa de planejamento da adoção do sistema ERP na PME, especialmente para gestão de estoque, é estruturante para o sucesso futuro das operações.

Deve-se planejar, por exemplo, o período de testes do sistema, modelo de controle de estoque, cadastro das mercadorias e dos insumos atuais, além de estabelecer processos para cadastros futuros.

Com isso, os gestores terão controle de cada etapa, analisando o que funcionou e o que precisa ser melhorado antes de iniciar a próxima.

2. Estratégia de dados limitada

O sistema ERP apresenta um grande potencial para impulsionar os negócios quando os dados são usados de forma assertiva e estratégica.

Trata-se de um equilíbrio calculado pela gestão entre coletar os dados que contribuam para uma tomada de decisão mais inteligente, ao mesmo tempo em que não se deve juntar dados em excesso que não traduzam a realidade da empresa.

3. Desconsiderar soluções de computação em nuvem

O sistema ERP com computação em nuvem proporciona flexibilidade e mobilidade às operações da PME, permitindo que a companhia insira-se de forma mais competitiva e eficiente no segmento de distribuição e logística.

Ainda que os gestores não identifiquem ganhos imediatos com a nuvem, trata-se de uma tendência para modernizar e digitalizar as operações do segmento, sendo que será cada vez mais imprescindível para o desempenho das equipes que atuam interna e externamente.

Veja ainda: Sua PME precisa do sistema ERP na nuvem? Saiba agora!

4. Não investir em personalização

As novas tecnologias viabilizam um elemento inédito às empresas: a possibilidade de personalizar ferramentas para um uso mais alinhado às demandas internas.

Explorar esse recurso é essencial, de forma que as aplicações do sistema ERP direcionadas à gestão de estoque considerem as especificidades da companhia, como diferentes modelos de gestão ou relacionamento com fornecedores.

5. Negligenciar o usuário final

É fundamental que a escolha do sistema ERP considere a usabilidade da ferramenta para o usuário final, uma vez que uma interface difícil vai desincentivar a utilização pela equipe e gerar problemas de operação.  

Veja mais: 6 estratégias de como tornar a armazenagem e gestão de estoque mais eficientes

6. Não investir em uma solução completa

Um erro comum relacionado ao sistema ERP é desconsiderar as funcionalidades da ferramenta na escolha e contar com módulos externos quando precisar de novos recursos. Tal situação pode gerar incompatibilidades e comprometer a execução correta dos processos.

O ERP deve ser completo, com recursos desenhados para atender às necessidades de uma PME, incluindo a gestão de estoque, mas também gestão de vendas, compras, gerenciamento financeiro, fiscal, distribuição, relacionamento com clientes e fornecedores etc.

O SAP Business One, fornecido pela Ramo Sistemas, tem essas características, pois foi desenvolvido considerando as demandas das PMEs de distribuição e logística, de forma que tem recursos diferenciados como previsibilidade operacional, interface responsiva, relatórios completos e diferentes modelos de controle de estoque.

Além disso, possui tecnologias inovadoras integradas, como automação, análise de dados, inteligência artificial e internet das coisas para otimizar as operações, os processos e facilitar a tomada de decisão de modo mais inteligente.

Quer saber mais? Conheça o SAP Business One aqui!

Baixe agora nosso Checklist da Gestão Empresarial e saiba como gerenciar e integrar áreas no setor de distribuição.

Enviar mensagem.
Estamos online, entre em contato!
Enviar mensagem.
Estamos online, entre em contato!