Blog

gestão inteligente

Gestão inteligente: como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) impactará PMEs

A gestão inteligente se tornará fundamental para as empresas em 2020, a partir da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). 

Por isso, os pequenos e médios negócios precisam investir na transparência do armazenamento de dados pessoais dos usuários e na segurança para manter todas as informações protegidas.

As organizações que não seguirem a risca as novas diretrizes previstas na LGPD, que entrará em vigor a partir de agosto de 2020, correm o risco de sofrerem punições severas, como multas sobre o faturamento e até a proibição de atuarem.

Diante disso, confira os impactos da Lei Geral de proteção de Dados nas PMEs:

Marketing e novos produtos

Os setores de marketing e o de novos produtos devem se atentar à LGPD com a adoção do Privacy by design, que é uma espécie de salvaguardas de privacidade e dados pessoais, em todos os projetos desenvolvidos.

Além disso, essas duas áreas devem revisar as políticas de marketing, inclusive redes sociais e email marketing, acesso ao cliente e garantir informações claras sobre o uso de dados de crianças e adolescentes.

Leia mais: Como o sistema ERP na nuvem aumenta a produtividade na sua empresa de serviços

Jurídico compliance

Já na área jurídica, as organizações devem oferecer apoio em toda a gestão inteligente de compliance das empresas. Desse modo, podem desenvolver, por exemplo, a redação do relatório de impacto à proteção de dados, gerar e revisar o formulário de resposta ao titular sobre o acesso a informações.

Além disso, as empresas jurídicas também podem dar apoio no fornecimento de informações sobre o tratamento de dados de crianças e adolescentes, prestar consultoria quanto à eliminação ou conservação após o término do tratamento.

As companhias também podem realizar toda a gestão do consentimento do titular, especial para crianças e adolescentes, bem como sua publicação.

Leia mais: O que as indústrias perdem ao não usar o sistema integrado de gestão?

Recursos Humanos

A partir da LGPD, o setor de recursos humanos das companhias devem gerir, armazenar e proteger os dados pessoais dos colaboradores e treiná-los quanto ao cumprimento da lei.

Também cabe ao RH revisar contratos de trabalho e normas internas para a adequação às novas diretrizes, bem como responder aos pedidos de acesso à informação dos próprios colaboradores.

Leia mais: Como otimizar a gestão de compras em empresas de distribuição

TI

O TI das organizações também devem se preparar para a LGPD. Assim, devem gerenciar o processo de tratamento de informações sensíveis para prevenção a fraudes e segurança

A área também deve avaliar o grau de segurança em processos de transferência internacional de dados e atentar para os padrões técnicos de segurança e sigilo, além de criar e gerenciar os procedimentos de resposta e atendimento a todos os direitos do titular.

Compras e suprimentos, Financeiro, Contábil, Tesouraria e Relação com investidores

Os setores de Compras e Suprimentos, Financeiro, Contábil, Tesouraria e Relação com investidores devem gerenciar e armazenar as informações de todos os clientes, fornecedores, devedores e acionistas. 

Além disso, o setor também deve exigir contratualmente de fornecedores o atendimento à LGPD.

Leia mais: 5 passos para otimizar o planejamento de estoque

Utilize a tecnologia e realize a gestão inteligente do seu negócio

Para realizar a gestão inteligente do seu negócio é importante adotar um sistema integrado de gestão que atenda à Lei Geral de Proteção de Dados.

Por isso, a Ramo Sistemas oferece o SAP Business One, sistema ERP completo que integra todos os setores de uma empresa e, a partir da automação de atividades e padronização de processos, ajuda o seu negócio a garantir o compliance de todas as legislações vigentes. 

Quer contar com o SAP Business One em seu negócio? Entre em contato com um de nossos consultores e tenha o melhor sistema integrado de gestão para sua empresa!