Blog

giro de estoque

Como o controle do giro de estoque facilita a gestão e aumenta as vendas

Os produtos comercializados são a principal fonte de renda das empresas, além de significarem capital investido. Portanto, é necessário ter um controle estratégico sobre compras de mercadorias e vendas realizadas para não ter prejuízos. Isso quer dizer ter os itens sempre à disposição dos clientes e, ao mesmo tempo, não comprar em excesso. Para atingir esse objetivo, é fundamental medir o giro de estoque.

A partir daí, os setores como os de distribuição e logística podem manter a rotatividade dos produtos, movimentando capital e gerando lucro. Quer saber mais sobre o assunto para otimizar os processos em sua organização? Então, acompanhe o nosso post!

Leia também: Controle de estoque: conheça os principais problemas e como resolvê-los

O que é o giro de estoque?

O giro de estoque pode ser definido como a métrica responsável por demonstrar o desempenho de um estoque e indica sua qualidade em relação à utilização dos itens estocados. Este processo define o período que um produto permanece estocado, levando em consideração desde a sua entrada até a venda.

O indicador é aplicável para qualquer tipo de estoque, independentemente do porte ou complexidade.

Para ficar mais claro, imagine que o estoque de determinada marca de perfume em uma importadora é de 200 produtos e a empresa vende 1.800 itens por ano. Logo, o giro de estoque dessa empresa é 1.800/200 = 9 giros ao ano. A fórmula consiste em calcular a quantidade vendida/estoque médio.

É importante frisar que cada tipo de negócio tem suas especificidades quando se trata de calcular o giro de estoque. Por exemplo, aqueles que trabalham com perecíveis devem calcular com base em períodos mais curtos, por causa da volatilidade das mercadorias.

Saiba mais: Planejamento de estoque: como calcular e reduzir o custo de armazenagem?

Qual a importância de calcular a métrica?

O resultado do cálculo indica quantas vezes um dos itens estocados foi renovado no período considerado. Nesse caso, a lógica é simples: quanto maior for o número obtido, mais vendas foram realizadas.

Esse gerenciamento do giro de estoque permite uma melhor previsão de compras e vendas, inclusive no que se refere ao fornecimento em larga escala. Assim se evita prejuízos, já que a gestão sabe exatamente qual a demanda de mercadorias.

Leia também: 4 passos para melhorar a logística de distribuição em sua empresa

Como saber se o giro de estoque está bom?

Apesar do cálculo do giro de estoque ser simples, interpretar os resultados pode ser um pouco mais complicado por falta de parâmetros. Um ótimo começo para saber se uma empresa está no caminho certo é observar os padrões de mercado, conforme o setor de atuação e os itens comercializados.

Nem sempre um giro baixo significa resultados negativos. Por exemplo, um varejista que tem um ticket médio alto e trabalha com não perecíveis, como eletrônicos, não precisa ter um giro tão alto quanto um supermercado.

É importante analisar também a concorrência, já que quanto mais alto for o giro de estoque de uma organização em relação a empresas concorrentes, melhor o negócio estará.

Conheça uma solução eficiente para o giro de estoque 

Para ter um melhor controle de estoque, é fundamental adotar uma solução tecnológica com funcionalidades específicas. O SAP Business One, disponibilizado no Brasil pela Ramo Sistemas, é um sistema de gestão empresarial integrado com recursos voltados para empresas de distribuição e logística.

A ferramenta fornece informações precisas sobre entrada e saída de pedidos, estoque e localização do item. Assim, é possível cuidar da gestão do estoque usando custo padrão, média de movimentação, FIFO e outros métodos, além de monitorar os níveis e acompanhar as transferências em tempo real.

Isso auxilia nas verificações de disponibilidade e gerenciamento de preços normais e especiais. Com o SAP Business One, é possível também aplicar descontos por volume e cliente e tomar decisões mais inteligentes e estratégicas.

  • Entre os principais recursos, estão:
  • Gestão de estoque e depósito;
  • Gestão de localização no depósito;
  • Controle de entrada e saída de mercadorias;
  • Planejamento de produção e material;
  • Integração entre depósito e contabilidade;
  • Relatórios eficientes.

Quer saber mais sobre a solução para o seu negócio? Então, entre em contato com um de nossos especialistas agora mesmo!

Baixe agora nosso Checklist da Gestão Empresarial e saiba como gerenciar e integrar áreas no setor de distribuição.