Blog

As tecnologias utilizadas em Vingadores que já fazem parte da nossa realidade

Por: SAP Brasil

Personagens como Tony Stark, o Homem de Ferro, utilizaram a tecnologia como aliada em diversos momentos e muitas delas já existem e são desenvolvidas na vida real.

O sucesso de Vingadores está mais que consolidado. Com o lançamento do último filme, Vingadores Ultimato, a franquia está batendo recordes de bilheteria como o primeiro longa a superar a marca de US$ 1 bilhão no primeiro final de semana de estreia.

Os números são resultados dos dez anos de lançamentos de filmes de super-heróis produzidos pela Marvel Studios, que contextualizaram a saga pela proteção do universo. Os fãs dos quadrinhos puderam acompanhar nas telonas as grandes produções em que a tecnologia foi a principal aliada dos principais personagens, como o Homem de Ferro.

Muitos dos recursos utilizados pelo herói já existem. Inspirado no assistente virtual de Tony Stark, o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, desenvolveu seu próprio Jarvis. Com recursos de Inteligência Artificial, o assistente utiliza reconhecimento de voz e reconhecimento facial para atender aos comandos, tirando roupas do armário, fazendo torradas, controlando a temperatura e a iluminação.

Yves Rossy, piloto e engenheiro suíço, criou um traje que possui capacidade aerodinâmica, permitindo que ele voe ativando um botão que fica em suas mãos. Rossi utiliza o próprio corpo para direcionar o voo em seu traje, que é feito de carbono e blindagem Kevlar e possui quatro motores de propulsão.

Há algum tempo era quase impossível pensar que pessoas que perderam o movimento das pernas pudessem voltar ganhar mobilidade com a ajuda da tecnologia. Em Capitão América: Guerra Civil, o melhor amigo do Homem de Ferro, James Rhodes, interpretado por Don Cheadle, perde parcialmente o movimento das pernas após cair enquanto voava. Para a reabilitação, ele utiliza um protótipo que o ajuda a caminhar.

Como no filme, já existe na vida real um exoesqueleto que permite que pessoas que sofreram uma lesão medular possam realizar diversos movimentos com as pernas, até subir e descer escadas. O equipamento foi desenvolvido pela Rewalk, que também projetou modelos que são utilizados em clínicas de fisioterapia para reabilitação de pacientes.

Todas essas inovações tecnológicas só são possíveis graças a tecnologias como IoT, Big Data, Machine Learning e Inteligência Artificial, além da criatividade humana. Sem a capacidade do ser humano de imaginar novas realidades, até então impossíveis, nenhum dos acessórios de Tony Stark e nem mesmo a saga de filmes seria possível.

E você, que outra tecnologia dos super-heróis você espera ver na vida real?

Deixe um Comentário